História

Situado no Bairro de Campo de Ourique, oficialmente aberto desde 1974, A Paródia é um dos melhores segredos de Lisboa, com muita história e histórias para contar.

Em finais de 1973, Luis Pinto Coelho, coleccionador e arquitecto de interiores, começou a receber os amigos, informalmente e fora de horas, na sua loja de antiguidades, que mais tarde vem a ser a primeira sala do bar. É aqui que se fazem muitas reuniões e noites de tertúlia, a favor da revolução do 25 de Abril. Nessa altura, este espaço era conhecido como o "bar da PIDE", porque também aqui vinham elementos desta polícia, por sua vez secretamente contra o regime.

Luís Pinto Coelho só abre oficialmente esta primeira sala, como bar, dois dias após a revolução, a 27 de Abril de 1974, com o nome A Paródia, em honra à revista satírica do início do século XX, de Rafael Bordalo Pinheiro, da qual podem ser encontrados vários exemplares de capas espalhadas pelas paredes do espaço.

Em 1976, o Bar expande-se com a abertura da segunda sala, no espaço do edifício contíguo, onde até então tinha existido uma mercearia de nome "O Pomar do Patrocínio".

Nos anos mais quentes pós-revolução, as duas salas dividiam-se naturalmente, uma para os de esquerda e outra para os de direita.

Em finais de 1976, Luis Pinto Coelho vende o Bar a um dos seus antigos barman, carinhosamente conhecido pelos clientes habituais como Tio Albino.

Foi neste espaço que se manteve até a idade o cansar, não sem antes vender o Bar em 1998, a um dos seus mais fiéis clientes, José Mariano Lapa Batista, que sentia A Paródia como uma extensão da sua casa e nem por sombras o queria ver desaparecer, decidindo-se por isso a adquiri-lo. O filho Pedro Batista é depois chamado para gerir o Bar, onde acaba por conhecer, a sua futura mulher e actual anfitriã Filipa Carlos.

Ao longo dos anos foram passando por esta casa muitos artistas, políticos, jornalistas e escritores, destacando-se José Cardoso Pires, que refere o Bar na sua obra "Livro de Bordo" como uma "capelinha modesta, inteiramente dedicada à memória de Bordalo, a leste de Campo de Ourique – A Paródia”.

A Paródia é então um dos primeiros bares de Lisboa, pensado e decorado por Luís Pinto Coelho. Importante referir que todos os seus icónicos bares marcaram e continuam a marcar as noites de Lisboa, pela diferença e singularidade - Procópio, A Paródia, Foxtrot e Pavilhão Chinês.

Espaço com decoração original da data de fundação, onde a madeira e as cores aquecem todo o espaço, A Paródia é uma montra belle époque de mobiliário antigo, arte nova e arte déco, com candeeiros a oferecerem iluminação q.b..

As paredes do bar, corridas a capas da Revista A Paródia, desenhos e caricaturas de Bordalo Pinheiro e outros criadores, fotografias e objectos de artes várias, incluem algumas paredes revestidas a caixas de fósforos, uma fantástica coleção de caixinhas onde antigamente alguns clientes guardavam moedas e outras recordações e que são agora como cápsulas do tempo em miniatura. Esta tradição transita para os dias de hoje, sendo os clientes convidados a escolher uma caixinha de fósforos para si, e lá guardarem segredos para as gerações futuras poderem descobrir.

A Paródia é assim um bar com muita história, que aposta em manter velhos fiéis e agregar novos.

Um espaço com uma alma do tamanho do mundo, onde se juntam, desde 1974, portugueses e cidadãos além fronteiras, que vão presenteando o Bar com a sua fidelidade e passar da palavra sobre a beleza e univocidade do espaço, serviço profissional e atencioso, conforto e intimismo proporcionado a quem o visita.

Esta realidade está bem espelhada em vários guias turísticos e sites de críticas on line. Um bar de gerações, uma herança passada de avós para pais e de pais para filhos, reconhecido como Loja com História, pela Câmara Municipal de Lisboa, pelo seu valor em termos de património material, histórico e cultural, desde 30 de Setembro de 2020.

Talvez o bar mais intimista de Lisboa, um espaço acolhedor, que convida a largas horas de boa conversa, na companhia de um dos muitos cocktails, bebidas e outras propostas deliciosas a não perder.

Bar A Paródia, único e singular, sempre pronto a receber todos o que o visitem por bem. Basta tocar à campainha!